Conceitos

QField foi criado com alguns conceitos chave em mente.

Simplificar

Os requisitos no campo não são os mesmos que num computador de secretária. O ecrã é mais pequeno, os dispositivos de entrada são diferentes e as tarefas são diferentes.

O QField tem como objectivo ajudar o utilizador a realizar as tarefas que ele necessita, num interface simples. Isto significa, que apenas estão disponíveis no interface as tarefas que necessitam ser executadas no campo. Tudo o resto não é disponibilizado.

Isto significa que tudo que tem a ver com estilos de camadas, definições de formulários e outros passos de configuração do projeto devem primeiro ser feitos num computador com o QGIS instalado.

Ser compatível com o QGIS

O QField é baseado no QGIS. Não sendo uma reconstrução do QGIS, utiliza contudo as bibliotecas do QGIS. O mecanismo de renderização é idêntico ao do QGIS para desktop e o seu projecto irá, por isso, ter o mesmo aspecto no seu dispositivo móvel, que tem no seu computador.

Se algo já estiver disponível como opção de configuração num projecto QGIS, tal não deve ser reinventado. Portanto, o QField usa os mesmos widgets de edição que o QGIS para desktop. Se um projeto já estiver configurado para desktop, deverá igualmente executar em dispositivos móveis.

Lembre-se, este é apenas o conceito. É isso que temos em mente quando desenvolvemos o QField. Tal não significa que já esteja completamente implementado.

Baseado em modos de utilização

O QField é construído em torno de modos de utilização. Os modos são semelhantes a uma ferramenta de mapa do QGIS desktop. Um modo define a tarefa que o utilizador está a fazer actualmente. Um utilizador ou está a explorar os dados ou está a digitalizar algo novo.